Widgetized Section

Go to Admin » Appearance » Widgets » and move Gabfire Widget: Social into that MastheadOverlay zone

História Ilustrada de Rio Claro – Ciência e Tecnologia (C&T)

Ivani Bianchini Hofling, socióloga e rio-clarense

 

O Requerimento de nº 2679/2009 de autoria do deputado Aldo Demarchi, apresentado na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, que propõe voto de congratulações pelo transcurso dos 110 anos de fundação da Cervejaria Rio Claro e do lançamento da Cerveja Caracu*, merece apresentação especial neste espaço, pois é tema da história que vem sendo aqui ilustrada e fez parte da gestão 2005/2008 à frente do Arquivo do Município. Naquele período, foram realizadas quatro exposições da História da C&T, em Rio Claro, em parceria com o MCT, Shopping Center, Claretianas, Escola SENAI, Diário de Rio Claro, entre outros. O tema foi abandonado, e é hoje retomado, para mostrar a relevância da história da C&T para Rio Claro.

Fundada em 1889, pelo Major Carlos Pinho, a “Cervejaria Rio Claro”, permaneceu sob sua direção até o ano de 1902, quando a “Fábrica de Cerveja e de Gelo” foi arrendada pelo Sr. Júlio Stern, que a transformou em sociedade anônima: “Cervejaria Rio Claro — Cia. Industrial”. Naquela época, “a Cervejaria produzia a Cerveja Rio Claro, pioneira no Estado” (Almanaque 1906).

Após a crise de 29, com Nicolau Scarpa, a indústria passou por processo de modernização e consolidação da Caracú no mercado.

Era Rio Claro mostrando seu potencial no campo da C&T, oferecendo mão de obra à altura do investimento realizado em máquinas de produção em larga escala, na construção de prédios industriais modernos, com diretoria, refeitório, sala de conferência, setor de produção, de vasilhames, adegas, galpão para as caldeiras, frota de veículos, propaganda etc.

Desde 1957, com cerca de 500 funcionários, a empresa funcionava na Avenida 4 com rua 8 e abrigava a fábrica de gelo, a ferramentaria e anexo de três pavimentos, onde ficavam a casa de máquinas e os resfriadores de água.

“Na sequência [os Scarpa], avançaram para o interior da quadra com 8 mil metros quadrados de área e ergueram outro prédio, todo de cimento armado, com três andares e erguido para comportar máquinas compradas no exterior. No local, instalaram ainda a nova carpintaria, o engarrafamento e o armazém.

Depois, levantaram um edifício de oito andares, o mais alto de todas as indústrias paulistas da época. No último andar, ficava o moinho da cevada e, logo abaixo, os tanques para produção de cerveja. Na parte de baixo, os demais setores, entre eles o de envasamento. Uma das características marcantes da construção – que existe até hoje – era a chaminé de 40 metros de altura, que durante décadas exalou o aroma de cevada por toda a cidade”.

A vistoria do vasilhame era feita por mulheres uniformizadas com macacões azuis e botas de borracha. Através de um visor, avaliavam a qualidade das garrafas e se continham impurezas. Depois do engarrafamento, saíam todas enfileiradas, contendo os produtos, devidamente tampadas e rotuladas, sendo então encaminhadas para a seção de expedição, onde frotas de caminhões pintados de amarelo alaranjado e preto, tendo como símbolo a figura do boi da raça Caracu, aguardavam o carregamento.
A Cervejaria Rio Claro  foi uma das primeiras empresas a aliar um grande esquema de transporte e distribuição de seus produtos a uma eficiente estratégia de propaganda, com sua frota de veículos circulando por todo o país exibindo a marca característica que lhe garantiria fama internacional: a figura do boi da raça Caracú.

Skol – a primeira cerveja em lata

Em abril de 1971, as Cervejarias reunidas Skol-Caracu lançam com total primazia a primeira cerveja enlatada do Brasil.

Esse pioneirismo, como dizia a propaganda, “só podia ser Skol” e, para orgulho dos rio-clarenses , “só podia ser de Rio Claro”.

Antigo rótulo de Produto da Cervejaria Rio Claro que evidenciava a influência indígena na cultura de então

Antigo rótulo de Produto da Cervejaria Rio Claro que evidenciava a influência indígena na cultura de então

Antigas dependências da Cervejaria Rio Claro. Almanaque 1951

Antigas dependências da Cervejaria Rio Claro. Almanaque 1951

Um dos primeiros rótulos de produto da Cervejaria Rio Claro. Segundo o Almanaque de 1906, a Cerveja Rio Claro foi pioneira no Estado de São Paulo

Um dos primeiros rótulos de produto da Cervejaria Rio Claro. Segundo o Almanaque de 1906, a Cerveja Rio Claro foi pioneira no Estado de São Paulo

Pilsen, clara, de baixa fermentação

Pilsen, clara, de baixa fermentação

Residencia do Major Carlos Pinho (Avenida 3, Rua 9) proprietário da Cervejaria Rio Claro

Residencia do Major Carlos Pinho (Avenida 3, Rua 9) proprietário da Cervejaria Rio Claro

Rio Claro, terra da cerveja... Mimosa

Rio Claro, terra da cerveja… Mimosa

Sport foi outra marca de cerveja produzida em Rio Claro

Sport foi outra marca de cerveja produzida em Rio Claro

Antigo caminhão transportador da Cervejaria Rio Claro

Antigo caminhão transportador da Cervejaria Rio Claro

Maçã, Jatubaína, Gegibira e Sodinha refrigerantes da moda nos idos de 40 e  50. Produto da Cervejaria Rio Claro. Era a alegria da garotada

Maçã, Jatubaína, Gengibirra e Sodinha refrigerantes da moda nos idos de 40 e 50. Produto da Cervejaria Rio Claro. Era a alegria da garotada

Cerveja Branca, outro produto de Rio Claro

Cerveja Branca, outro produto de Rio Claro

 Especial, rica em extrato de malte

Especial, rica em extrato de malte

Pioneira em estilo de propaganda

Pioneira em estilo de propaganda

Rótulo da Soda Limonada refrigerante da época, adorado pela criançada e pelos adultos também! Observe na foto, o limão siciliano, pouco conhecido no país.

Rótulo da Soda Limonada refrigerante da época, adorado pela criançada e pelos adultos! Observe na foto, o limão siciliano, pouco conhecido no país.

Brasi-Luza, em homenagem à Independ~encia

Brasi-Luza, em homenagem à Independência

Lager München Bier. O nome remete, obviamente, à cidade de Munique, de onde a lager é originária. Cerveja escura ou preta, com forte sabor de malte, semelhante ao café.

Lager München Bier. O nome remete, obviamente, à cidade de Munique, de onde a lager é originária. Cerveja escura ou preta, com forte sabor de malte, semelhante ao café.

Prédio da Caracu

Prédio da Caracu

Água muito procurada por suas qualidades minerais

Água muito procurada por suas qualidades minerais

Cerveja Prima, outro produto de Rio Claro

Cerveja Prima, outro produto de Rio Claro

A primeira cerveja em lata do Brasil

A primeira cerveja em lata do Brasil

Fontes:

Portal Lide Brasil – Postado por garcia em 28/11/2009 às 12:54 em Em Destaque, Opinião (Aldo Demarchi).

Rio Claro Sesquicentenária. 1977. Secretaria de Estado da Cultura. Museu Histórico de Rio Claro.

Indústrias de Rio Claro. Cervejaria Rio Claro Skol-Caracu – 1899 – 1992. Universidade Estadual Paulista – Campus de Rio Claro, Curso: Geografia Noturno – 1º ano, Disciplina: História Econômica do Brasil., Docente: Profª. Dra. Liliana B. dos Reis Garcia, Alunas: Adria Cristina Nogueira e Maria Lúcia Ferraz.
*A marca da Cerveja Caracú leva originalmente acento agudo.

 

(Copyrigth www.lidebrasil.com.br/   Ivani  Bianchini Hofling – Todos os direitos reservados)

2 Comentários para História Ilustrada de Rio Claro – Ciência e Tecnologia (C&T)

  1. Luiz Carlos Rampazzo

    25/03/2010 em 14:33

    Excelente a matéria! Gostei especialmente dos rótulos. Existem outros? Existe alguma matéria sobre a Cervejaria Mãe Preta também?

  2. ERIKA SCHMIDT GASBARRO

    21/08/2010 em 19:37

    Olá,
    Falta o primeiro Rótulo…meu bisavô foi o Fundador da Cervejaria Nacional de Rio Claro…Srº Vicente Gasbarro…Por que não falam dele?Por que não tem o Rótulo da cerveja dele?
    Eu sei que meu bisavô vendeu para a família dos Scarpa…e tenho o Rótulo Original que meu pai Edvald Gasbarro guarda até hoje.
    Seria bom se contasse a história desde do início.
    Desde já aguardo contato.
    Erika Schmidt Gasbarro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>